Seguidores

domingo, 27 de novembro de 2016

SOLIDÃO DA ALMA


SOLIDÃO DA ALMA

       De repente a gente puxa a respiração até o fundo e quando solta, uma dor aguda e profunda nos faz encolher até a idade de pequeno feto. Isso é a solidão da alma onde o nada é o companheiro constante e os dias vazios parecem se repetir. Um repentino sobrevivente pensamento faz-nos lembrar que lutamos diariamente para que isso não acontecesse, mas tudo em vão. E percebemos que ao redor muitos vivem e transitam, mas parecem não nos enxergar. Isso é a solidão da alma, só nós a sentimos. Tudo que sonhamos, o que esperamos e desejamos, não aconteceu. As esperanças viram um acumulado de cinzas que o vento vai levando. Embora tenhamos colocado muita fé de que tínhamos algum valor, não fomos reconhecidos. De que vale um coração transbordando de amor se tem horas que precisamos ser duros e fechar a porta? Isso é a solidão da alma. Decepções, mágoas, desprezo são as causas que podem levar o ser humano ao fim da vida pela solidão da alma. Você já se sentiu assim? Eu já. Só que eu não me contentei com essa agonia e procurei algum modo de sacudir o meu interior. Descobri então que não estou só, que tenho o melhor dos companheiros e amigo. Para os meus questionamentos eu encontro todas as respostas Naquele que verdadeiramente me ama, Jesus! Se indago porquê, Ele tem três respostas: sim, não ou ainda não. Todos os dias se tornaram preciosos porque sei ser preciosa para Ele e isso é o máximo que um ser pode experimentar. 
     Grata por me amar assim Jesus!

                                              Regina Vicentini

                                                                    27/11/2016